(31) 3427-7349 | Whatsapp - 9 8517-5760 | 9 9801-4494

6 MOTIVOS PRA VIAJAR SÓ! – Loucos por aventura

6 MOTIVOS PRA VIAJAR SÓ!

Quando você tá acompanhado, é muito mais confortável permanecer no seu grupo, né? Não existe a “necessidade” de procurar outras companhias e é fácil se acomodar com o conhecido. Sozinho, rola um empurrãozinho natural pra puxar assunto com outra pessoa que tá só, ou com aquele pessoal simpático tomando café da manhã ao seu lado no hostel.

1. Conhecer gente nova

E às vezes isso acontece sem querer: você vai pedir informação pra chegar num lugar, conversa vai, conversa vem, fez um amigo. Tá sentado lá na sua e alguém pergunta se você não quer ir jantar com o resto da galera. Quem sabe não começam assim as situações ou conversas mais interessantes da sua vida?

2. Fazer seus próprios planos

Esse é um aspecto prático que pode até parecer egoísmo, mas acredito que é um dos mais incontestáveis motivos para viajar só. Afinal, quanto mais gente viajando junta, mais difícil conciliar as vontades de todos. Se essa “gente” se reduz a uma pessoa só, zero discussão. 😉

É claro que ceder ao que os outros querem em alguns momentos é importante, além de lhe permitir descobrir coisas que não pensava gostar. Mas também é massa poder explorar o lugar no seu próprio ritmo e mudar de planos quando bem entender. Sua viagem se torna 100% sua!

3. Superar medos

Muita gente tem medo mesmo de estar sozinho por aí, principalmente em outro país. Medo de não conseguir se comunicar em outra língua, de se perder e não achar mais o caminho, de falar com desconhecidos, de se sentir vulnerável.

Mas aí entram duas partes massa: a primeira é que você não vai ter muita opção além de enfrentar qualquer que seja esse medo. Aí, depois de você cruzar uma barreira e ver que sobreviveu, as outras vão parecendo cada vez menores. 🙂

E a segunda coisa legal é que você tem a possibilidade de aprender a fazer o que quer que seja sem ninguém conhecido por perto pra lhe observar, pressionar ou julgar. Pedir comida em outro idioma, entender o metrô, encontrar aquele ponto turístico meio escondido: você pode fazer tudo isso no seu ritmo. E, é claro, se orgulhar das SUAS conquistas depois.

4. Aguçar os sentidos

Quando tou acompanhada, costumo conversar muito. Me considero tímida, mas é fato que quando tou à vontade com a pessoa, dificilmente calo a boca. O lado ruim disso durante uma viagem é que acabo perdendo um pouco do que acontece à minha volta. Falar sobre o que está ao redor, contar histórias e morrer de rir é maravilhoso, mas parar e sentir também é muito bom. Sozinha, eu me sinto muito mais aberta ao mundo exterior.

Meus sentidos parecem ficar mais aguçados e eu sinto mais cheiros, ouço os barulhos da rua e a forma em que as pessoas falam. Paro e aprecio com mais calma uma comida gostosa. Observo a forma em que as pessoas se vestem e se comportam.

Por isso, apesar de achar ótimo conhecer pessoas, também gosto de aproveitar os dias de viagem pra seguir meio anônima, me guardar mais pra mim. Desacompanhada, acho mais fácil me dedicar à contemplação e observar detalhes sobre o lugar que poderiam passar despercebidos.

5. Se conhecer melhor

Essas sensações, aliás, não se referem apenas ao mundo exterior. O estar só (que é bem diferente de “solidão”) aguça também os sentidos pra dentro da gente. Mais tempo pra pensar na vida sem a interferência das preocupações do dia a dia pode lhe ajudar a se entender um pouco melhor.

Estando em situações diferentes das habituais, fora da zona de conforto, nem se fala. Às vezes me surpreendi com a forma em que reagi a alguma coisa inesperada – pra o bem ou pra o mal. E às vezes me vi rompendo os conceitos que eu mesma tinha sobre mim. O que leva ao quinto e último ponto dessa lista…

6. Poder ser quem você quiser

Ao viajar só, você não tem ninguém ao seu lado a quem dar satisfações. Não tem aquele seu amigo de infância ou namorado/a de longa data dizendo que tal comportamento não combina com você, ou sua família com as expectativas de sempre. Conhecendo gente que nunca viu antes, você não precisa se prender àquilo que as pessoas esperam que você seja.

Sempre foi tímido? Que tal tentar puxar assunto com a galera num bar? Nunca teve paciência pra cultura “erudita”? E se der vontade de ir a um concerto de música clássica? É mais quieto, mas quer conhecer a tal balada bombástica da qual todo mundo tá falando? Por que não? Ninguém vai estranhar sua mudança, e se você não gostar da novidade, não precisa dar satisfações a ninguém.

A cada dia viajando sozinho, você tem a oportunidade de explorar seus limites, suas potencialidades e seus desejos com mais liberdade do que nas amarras da rotina e do conhecido. A cada manhã, você acorda com a possibilidade de descobrir novas partes de si mesmo, de preencher uma folha em branco com o que der na telha. Vê que divertido! 🙂

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.